15.5 C
Brasília
sábado, agosto 13, 2022
spot_img

SOU ISENTO E PERGUNTO QUEM VAI PAGAR ESSA CONTA?

Policiamento extra para ato contra Bolsonaro em 12 de setembro custará R$ 885 mil …

Cerca de 2 mil policiais a mais estarão de serviço para atuar no ato marcado na avenida Paulista

O reforço no policiamento para o ato contra o presidente Jair Bolsonaro marcado para domingo (12.set.2021) na avenida Paulista custará R$ 885 mil para o governo de São Paulo. Além do efetivo regular, outros 2 mil policiais extras devem atuar no dia. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, a polícia terá o apoio de 700 viaturas, 6 veículos blindados, 10 cães e 50 cavalos. Também serão usados no monitoramento 2 helicópteros e 6 drones. Haverá revista de pessoas em diferentes pontos da cidade. Nas manifestações de 7 de setembro, a segurança também precisou ser reforçada.

O principal organizador das manifestações é o grupo de direita MBL (Movimento Brasil Livre). O movimento é um dos que esteve à frente das manifestações pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016.

Recentemente, o MBL também passou a pedir a saída de Jair Bolsonaro da presidência e convocou, desde a 1ª quinzena de julho, um protesto para o 12 de setembro pelo “#ForaBolsonaro”.

A manifestação de domingo terá a participação de partidos de opositores ao governo e favoráveis ao impeachment de Bolsonaro. A manifestação também terá o apoio de apoio de 5 das 6 principais centrais sindicais brasileiras. Só a CUT (Central Única dos Trabalhadores) não participará do protesto, na avenida Paulista.

O MBL convocou todos os partidos aos atos, mas em nota divulgada na 4ª feira (8.set), pediu que deixem “suas pautas particulares e suas preferências eleitorais fiquem de fora”. O objetivo, segundo o movimento, é o impeachment de Bolsonaro.

Os atos devem correr nas capitais do país. Diversos nomes já confirmaram presença, como o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), Ciro Gomes (PDT), os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Simone Tebet (MDB-MS), a deputada estadual Isa Penna (Psol-SP) e o cantor Tico Santa Cruz.

Compartilhar

relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui