16.5 C
Brasília
sexta-feira, agosto 19, 2022
spot_img

É O MÍNIMO QUE O BRASIL ESPERA PROCURADOR!

‘Serão tomadas todas as providências’, diz Aras sobre relatório da CPI da Covid

Procurador-geral da República afirma que pode pecar pela ação e não pela omissão

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou neste domingo (17), em entrevista ao Canal Livre, da Band, que não vai se omitir caso o relatório da CPI da Covid traga elementos contundentes relacionados ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

“Serão tomadas todas as providências”, disse.

Aras foi questionado sobre a possibilidade de engavetar denúncia contra o presidente Bolsonaro, o que teria motivado os integrantes da CPI a criar uma estratégia para que o STF (Supremo Tribunal Federal) julgue o caso sem a participação do procurador-geral.

“O problema é saber se estaremos omissos. Quem me conhece sabe que posso pecar por ação, não por omissão”, disse. Segundo ele, ser discreto e “não fazer escândalo” não significa ser omisso.

Na entrevista, Aras detalhou a atuação de um grupo criado no Ministério Público para acompanhar a evolução da pandemia do ponto de vista jurídico, com a atuação de 150 promotores e procuradores.

“Temos um trabalho alentado, que foi entregue à CPI”, afirmou. Segundo ele, esse grupo acompanhou diariamente a comissão. Ele definiu a apuração parlamentar como relevante e lembrou que casos como o da Prevent Sênior já são investigados pelo Ministério Público.

Relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) decidiu propor em seu texto final o indiciamento do presidente e de outros três ministros de seu governo: o titular da Saúde, Marcelo Queiroga, o atual ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, e o atual ministro da Defesa, Walter Braga Netto.

Compartilhar

relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui