TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

A Igreja de Jesus Cristo nos Tempos Antigos

Postado por TVKajuru.com | 20/03/2016 às 05:38h

 

Algumas Características Que Identificam a Igreja de Jesus Cristo

“Cremos na mesma organização que existia na Igreja Primitiva, isto é, apóstolos, profetas, pastores, mestres, evangelistas, etc.” (Regras de Fé 1:6).

Jesus estabeleceu Sua Igreja quando esteve na Terra. Ela foi chamada de Igreja de Jesus Cristo (ver 3 Néfi 27:8), e os membros foram chamados de santos (verEfésios 2:19–20).

Revelação

Quando Jesus estabeleceu Sua Igreja, instruiu e dirigiu pessoalmente os líderes. Ele, por sua vez, recebeu instruções do Pai Celestial (ver Hebreus 1:1–2). Dessa forma, a Igreja de Jesus Cristo foi dirigida por Deus e não pelo homem. Jesus ensinou a Seus seguidores que a revelação era a “pedra” sobre a qual seria construída a Sua Igreja (ver Mateus 16:16–18).

Antes que Cristo ascendesse ao céu após Sua Ressurreição, Ele disse aos Apóstolos: “Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28:20). Fazendo valer Sua palavra, continuou a guiá-los do céu e mandou o Espírito Santo para que fosse um consolador e revelador para eles (ver Lucas 12:12João 14:26). Ele falou a Saulo em uma visão (verAtos 9:3–6) e revelou a Pedro que o evangelho deveria ser ensinado não somente aos judeus, mas ao mundo inteiro (ver Atos 10). Revelou muitas verdades gloriosas a João, que se acham registradas no Livro do Apocalipse. O Novo Testamento registra muitas outras maneiras pelas quais Jesus revelou Seu desejo de guiar a Igreja e iluminar os discípulos.

A Autoridade de Deus

As ordenanças e os princípios do evangelho não podem ser administrados sem o sacerdócio. O Pai deu essa autoridade a Jesus Cristo (ver Hebreus 5:4–6), que, por sua vez, ordenou Seus Apóstolos e deu-lhes o poder e a autoridade do sacerdócio (ver Lucas 9:1–2Marcos 3:14). Ele lhes lembrou: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei” (João 15:16).

Para que houvesse ordem em Sua Igreja, Jesus deu a maior responsabilidade e autoridade aos Doze Apóstolos. Escolheu Pedro como Apóstolo principal e deu-lhe as chaves para selar bênçãos, tanto nos céus como na Terra (ver Mateus 16:19). Jesus também ordenou outros líderes, dando-lhes deveres específicos a serem cumpridos. Depois que ascendeu ao céu, o padrão de atribuições e ordenanças continuou e outros foram ordenados ao sacerdócio por aqueles que já o haviam recebido. Jesus deixou claro, por intermédio do Espírito Santo, que Ele aprovava essas ordenações (verAtos 1:24).

A Organização da Igreja

A Igreja de Jesus Cristo era uma unidade cuidadosamente organizada. Foi comparada a um edifício “[edificado] sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina” (Efésios 2:20).

Jesus nomeou outros líderes do sacerdócio para ajudarem os Apóstolos no trabalho do ministério. Enviou líderes chamados setentas, em pares, para pregar o evangelho (ver Lucas 10:1). Outros líderes da Igreja eram os evangelistas (patriarcas), pastores (líderes que presidiam), sumos sacerdotes, élderes, bispos, sacerdotes, mestres e diáconos (ver o capítulo 14 deste livro). Esses líderes eram todos necessários para fazer a obra missionária, realizar ordenanças, instruir e inspirar os membros da Igreja. Esses líderes ajudavam os membros a chegar à “unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus” (Efésios 4:13).

A Bíblia não nos diz tudo sobre o sacerdócio ou sobre a organização e o governo da Igreja. Porém, foi preservado o suficiente para mostrar a beleza e a perfeição da organização da Igreja. Os Apóstolos receberam o mandamento de sair pelo mundo, pregando o evangelho (Mateus 28:19–20). Não podiam ficar em uma única cidade para supervisionar os novos conversos. Portanto, foram chamados e ordenados líderes locais do sacerdócio, e os Apóstolos os presidiam. Os Apóstolos e outros líderes da Igreja visitavam os vários ramos e escreviam-lhes cartas, por isso, o Novo Testamento contém cartas escritas por Paulo, Pedro, Tiago, João e Judas, nas quais eles aconselham e instruem os líderes locais do sacerdócio.

O Novo Testamento mostra que essa organização da Igreja deveria continuar. Por exemplo, a morte de Judas deixou apenas onze Apóstolos. Logo após a ascensão de Jesus, os onze Apóstolos reuniram-se para escolher alguém para ocupar o lugar de Judas. Por meio de revelação do Espírito Santo, escolheram Matias (verAtos 1:23–26). Jesus havia estabelecido o padrão de Doze Apóstolos para governar a Igreja. Parecia claro que a organização deveria continuar como Ele havia estabelecido.

Primeiros Princípios e Ordenanças

Os Apóstolos ensinavam dois princípios básicos: fé no Senhor Jesus Cristo e arrependimento. Depois que os novos conversos adquiriam fé em Jesus Cristo, aceitando-O como o Filho de Deus e seu Redentor e se arrependiam dos seus pecados, recebiam duas ordenanças: batismo por imersão e imposição de mãos para o dom do Espírito Santo (ver Atos 19:1–6). Eram esses os primeiros princípios e ordenanças do evangelho. Jesus ensinou: “Aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus” (João 3:5).

Ordenanças Realizadas pelos Mortos

Jesus providenciou meios pelos quais todos pudessem ouvir o evangelho, quer na Terra ou após a morte. No período entre Sua morte e Ressurreição, Jesus esteve entre os espíritos daqueles que já haviam morrido e organizou o trabalho missionário entre eles. Ele nomeou mensageiros fiéis e concedeu-lhes poder para ensinar o evangelho a todos os espíritos das pessoas que haviam morrido, dando-lhes, assim, a oportunidade de aceitar o evangelho (ver I Pedro 3:18–204:6D&C 138). Os membros vivos da Igreja, então, efetuavam ordenanças em favor dos mortos (verI Coríntios 15:29). Ordenanças como batismo e confirmação devem ser feitas na Terra.

Dons Espirituais

Todos os membros fiéis da Igreja podiam receber dons do Espírito. Esses dons eram concedidos de acordo com suas necessidades, capacidade e designações. Alguns desses dons eram a fé, inclusive o poder para curar e ser curado, a profecia e as visões (os dons do Espírito são debatidos com mais detalhes no capítulo 22). Sempre houve dons espirituais na verdadeira Igreja de Jesus Cristo (ver I Coríntios 12:4–11Morôni 10:8–18;D&C 46:8–29). Jesus disse aos discípulos que esses sinais ou dons espirituais sempre seguiriam os que cressem (ver Marcos 16:17–18). Muitos de Seus discípulos realizaram milagres, profetizaram ou tiveram visões pelo poder do Espírito Santo.

  • Por que a Igreja de Jesus Cristo precisa ter essas seis características?

A Igreja de Jesus Cristo nas Américas

Depois de Sua Ressurreição, Jesus visitou o povo das Américas e organizou Sua Igreja entre eles, ensinando as pessoas por três dias e voltando frequentemente por algum tempo depois disso (ver 3 Néfi 11–28). Depois, Ele os deixou e subiu ao céu. Por mais de 200 anos, aquele povo viveu em retidão e estava entre os povos mais felizes que já foram criados por Deus (ver4 Néfi 1:16).

Apostasia da Igreja Verdadeira

  • O que significa o termo apostasia?

No decorrer da história, pessoas maldosas tentaram destruir a obra de Deus. Isso aconteceu enquanto os Apóstolos ainda estavam vivos e supervisionavam a jovem Igreja em crescimento. Alguns membros ensinavam conceitos de suas antigas crenças pagãs ou judaicas, em vez das verdades simples ensinadas por Jesus. Alguns se rebelaram abertamente. Além disso, havia a perseguição externa. Os membros da Igreja eram torturados e mortos por suas crenças. Um após o outro, os Apóstolos foram mortos ou tirados da Terra de outra forma. Por causa da iniquidade e da apostasia, a autoridade dos Apóstolos e as chaves do sacerdócio também foram tiradas da Terra. A organização que Jesus Cristo estabeleceu deixou de existir, o que resultou em confusão. A doutrina estava sendo cada vez mais maculada por erros, e logo a dissolução da Igreja foi completa. O período em que a Igreja deixou de existir sobre a Terra é chamado de a Grande Apostasia.

Em pouco tempo, crenças pagãs dominaram o pensamento daqueles que eram chamados “cristãos”. O imperador romano adotou esse falso cristianismo como religião de estado. Essa igreja era muito diferente da que havia sido organizada por Jesus. Ensinava que Deus era um ser sem forma ou substância.

Aquelas pessoas perderam a compreensão do amor de Deus por nós. Não sabiam que éramos Seus filhos. Não entendiam o propósito da vida. Muitas ordenanças foram mudadas, porque o sacerdócio e a revelação já não estavam mais sobre a Terra.

O imperador escolheu seus próprios líderes e às vezes os chamava pelos mesmos títulos usados pelos líderes do sacerdócio da Igreja verdadeira de Cristo. Não havia Apóstolos ou outros líderes do sacerdócio com poder de Deus, nem dons espirituais. O profeta Isaías previu essa condição e profetizou: “A terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos e quebrado a aliança eterna” (Isaías 24:5). Não existia mais a Igreja de Jesus Cristo; ela era agora uma igreja de homens. Até o nome dela havia mudado. Também nas Américas houve apostasia (ver 4 Néfi).

Foi Predita uma Restauração

  • Que profecias do Velho e do Novo Testamentos previram a Restauração?

Deus havia previsto a Apostasia e preparou a Restauração do Evangelho. O Apóstolo Pedro falou sobre isso aos judeus: “E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio” (Atos 3:20–21).

João, o Revelador, também previu a época em que o evangelho seria restaurado. Ele disse: “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo” (Apocalipse 14:6).

  • Por que a Restauração foi necessária?

  • Pensem nas bênçãos que vocês recebem hoje devido ao fato de A Igreja de Jesus Cristo ter sido restaurada na Terra.

Escrituras Adicionais


Compartilhar em:


PUBLICIDADE