TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

O Povo do Convênio do Senhor

Postado por TVKajuru.com | 14/03/2016 às 02:43h

A Natureza dos Convênios

  • O que é um convênio? Por que os santos dos últimos dias são chamados de povo do convênio?

Desde o princípio, o Senhor fez convênios com Seus filhos na Terra. Quando o povo do Senhor faz convênios (ou assume compromissos) com Deus, eles sabem o que o Senhor deseja deles e quais as bênçãos que podem esperar Dele. Conseguem realizar melhor o Seu trabalho na Terra. As pessoas que fazem convênios com o Senhor e com quem o Senhor faz convênios são conhecidas como o povo do convênio do Senhor. Os membros da Igreja são parte do povo do convênio do Senhor.

No evangelho, um convênio significa um acordo sagrado ou uma promessa mútua entre Deus e uma pessoa ou grupo de pessoas. Ao fazer um convênio, Deus promete uma bênção pela obediência a mandamentos específicos. Ele estabelece os termos do convênio e revela esses termos aos profetas. Se decidirmos obedecer aos termos do convênio, receberemos as bênçãos prometidas. Se resolvermos não obedecer, Ele reterá as bênçãos, e em alguns casos é dada uma penalidade.

Por exemplo, quando nos filiamos à Igreja, fazemos diversos convênios com Deus (ver capítulo 20 deste livro). No batismo, fazemos convênio com o Senhor de tomar sobre nós o Seu nome. Ele promete que “todos os que se arrependerem e forem batizados em meu nome, que é Jesus Cristo, e perseverarem até o fim, serão salvos” (D&C 18:22). Ao participarmos do sacramento, fazemos convênios com o Senhor (ver capítulo 23 deste livro). Prometemos tomar sobre nós o Seu nome, lembrar-nos Dele e obedecer aos Seus mandamentos. Recebemos a promessa de que o Espírito Santo estará conosco (ver D&C 20:77–79). Quando recebemos as ordenanças do templo, fazemos outros convênios sagrados e recebemos a promessa da exaltação por nossa obediência fiel (ver D&C 132; ver também o capítulo 47 deste livro).

Deus também fez convênios especiais com determinadas pessoas ou grupos. Fez convênios especiais com Adão, Enoque, Noé, com os filhos de Israel e com Leí (ver Moisés 6:31–36, 52Gênesis 9:9–17;Êxodo 19:5–62 Néfi 1). Com Abraão e seus descendentes, fez um convênio especial que abençoa atualmente os membros da Igreja e todas as nações da Terra.

  • Pensem nos convênios que vocês fizeram com Deus e as bênçãos que Ele prometeu pelo cumprimento desses convênios.

O Convênio de Deus com Abraão e Seus Descendentes

  • O que é o convênio Abraâmico?

Abraão, um profeta do Velho Testamento, foi um homem muito justo (ver a gravura deste capítulo). Recusou-se a adorar os ídolos de seu pai e guardou todos os mandamentos do Senhor. Devido a sua retidão, o Senhor fez um convênio com ele e seus descendentes.

O Senhor prometeu a Abraão que ele teria uma descendência numerosa. Prometeu-lhe que todos eles poderiam receber o evangelho, as bênçãos do sacerdócio e todas as ordenanças de exaltação. Esses descendentes, pelo poder do sacerdócio, levariam o evangelho a todas as nações. Por intermédio deles, todas as famílias da Terra seriam abençoadas (verAbraão 2:11). Deus prometeu mais tarde que, se eles fossem justos, Ele estabeleceria Seu convênio com todas as gerações dos filhos de Abraão (ver Gênesis 17:4–8).

  • Como os mandamentos e as promessas do convênio Abraâmico se aplicam a nós? (Pondere como essa pergunta se aplica a diferentes situações, como no lar, no trabalho, na comunidade ou como missionários.)

Os Membros da Igreja São um Povo de Convênios

  • Que bênçãos e responsabilidades têm o povo do convênio de Deus hoje em dia?

Os descendentes de Abraão por linhagem sanguínea não são as únicas pessoas que Deus chama de Seu povo do convênio. Falando com Abraão, Deus disse: “Pois todos os que receberem este Evangelho serão chamados segundo o teu nome e contados como tua semente [linhagem]; e levantar-se-ão e abençoar-te-ão como seu pai” (Abraão 2:10). Dessa forma, dois grupos são incluídos no convênio feito com Abraão: (1) os descendentes de Abraão por linhagem sanguínea que forem fiéis e (2) aqueles que forem adotados em sua linhagem por aceitarem e viverem o evangelho de Jesus Cristo (ver 2 Néfi 30:2).

Quando somos batizados na Igreja, passamos a fazer parte do convênio que o Senhor fez com Abraão, Isaque e Jacó (ver Gálatas 3:26–29). Se formos obedientes, herdaremos as bênçãos desse convênio. Teremos direito a receber ajuda e orientação do Espírito Santo. Os homens dignos têm o direito de receber o sacerdócio. As famílias podem receber as bênçãos do sacerdócio. Podemos alcançar vida eterna no reino celestial. Não há bênçãos maiores que essas.

Juntamente com as bênçãos que recebemos como povo do convênio do Senhor, temos grandes responsabilidades. O Senhor prometeu a Abraão que por meio de seus descendentes o evangelho seria levado a toda a Terra. Estamos cumprindo essa responsabilidade por meio do programa missionário de tempo integral da Igreja e pelo trabalho missionário realizado pelos membros. Essa oportunidade de pregar o evangelho ao mundo inteiro pertence apenas à Igreja do Senhor e a Seu povo do convênio.

Como povo do convênio do Senhor, devemos cumprir Seus mandamentos. O Senhor disse: “Eu, o Senhor, estou obrigado quando fazeis o que eu digo; mas quando não o fazeis, não tendes promessa alguma” (D&C 82:10). Se rejeitarmos o convênio depois de aceitarmos o evangelho, ele se tornará nulo e estaremos em condenação perante Deus (ver D&C 132:4). Ele disse: “Abstende-vos do pecado para que dolorosos julgamentos não vos caiam sobre a cabeça. Porque a quem muito é dado, muito é exigido; e o que pecar contra a luz maior receberá a condenação maior” (D&C 82:2–3).

O Novo e Eterno Convênio

  • O que prometemos quando aceitamos o evangelho? Que bênçãos o Pai Celestial nos dá por cumprirmos essas promessas?

A plenitude do evangelho é chamada de o novo e eterno convênio. Inclui os convênios feitos no batismo, durante o sacramento, no templo e em qualquer outra ocasião. O Senhor chama de “eterno” porque foi ordenado por um Deus eterno e porque o convênio nunca será mudado. Ele deu esse mesmo convênio a Adão, Enoque, Noé, Abraão e outros profetas. Por esse prisma, ele não é novo. Mas o Senhor o chama de novo porque cada vez que o evangelho é restaurado após haver sido retirado da Terra, torna-se novo para o povo que o recebe (ver Jeremias 31:31–34Ezequiel 37:26).

Quando aceitamos o novo e eterno convênio, concordamos em nos arrepender, ser batizados, receber o dom do Espírito Santo, receber nossa investidura, fazer o convênio do casamento no templo e seguir Cristo, obedecendo a Ele até o fim da vida. Se guardarmos nossos convênios, o Pai Celestial nos promete que receberemos exaltação no reino celestial (ver D&C 132:20–24; ver também o capítulo 47 deste livro).

É difícil para os mortais entenderem a grandeza dessa promessa. Os mandamentos que Ele nos dá são para nosso benefício e, se formos fiéis, poderemos desfrutar para sempre das bênçãos e maravilhas do céu e da Terra. Poderemos viver em Sua presença e partilhar do Seu amor, Sua compaixão, Seu poder, Sua grandeza, Seu conhecimento, Sua sabedoria, glória e Seus domínios.

  • O que o fato de sermos o povo do convênio do Senhor tem a ver com nosso modo de vestir, agir e guardar os mandamentos de Deus?

Escrituras Adicionais e Outras Fontes

  • I Pedro 2:9–10 (povo peculiar)

  • D&C 54:4–6 (efeitos dos convênios guardados ou quebrados)

  • D&C 132:7 (convênios feitos com a autoridade correta)

  • D&C 133:57–60 (propósito dos convênios)

  • D&C 35:24 (promessas pela obediência aos convênios)

  • Hebreus 8:6 (Jesus Cristo é o mediador de um convênio melhor)

  • Guia para Estudo das Escrituras, “Convênio”, pp. 43–44.


Compartilhar em:


PUBLICIDADE