TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Caso Daniel: MP-PR denuncia sete pessoas por envolvimento na morte do jogador

Postado por TVKajuru.com | 27/11/2018 às 08:48h

Dos sete denunciados, quatro foram por homicídio triplamente qualificado; Daniel foi morto em 27 de outubro na Região Metropolitana de Curitiba.

 

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou, nesta terça-feira (27),cinco pessoas por homicídio pela morte do jogador Daniel. Ele foi assassinado no dia 27 de outubroem São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Entre os crimes aos quais Edison Brittes, que confessou o crime, foi denunciado está homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima).

O promotor do MP João Milton Salles disse que o classifica como "uma pessoa extremamente cruel e inconsequente". Já o delegado Amadeu Trevisan, responsável pelo inquérito, classificou Edison como "psicopata".

 

"Na realidade, o que aconteceu naquela casa, depois de terminado o inquérito policial, nós percebemos que não há mistério algum. Ali era uma festividade, em que haviam jovens, um casal de adultos, pais que estavam promovendo o aniversário de uma filha de 18 anos, e que deixaram absolutamente aquela situação sair do controle da forma como chegou", afirmou o promotor.

 

Outros crimes como ocultação de cadáver, coação no curso do processo, corrupção de menor e fraude processual – também constam na denúncia.

O crime de corrupção de menor é uma novidade no processo. Conforme Salles, foi porque havia uma pessoa menor de idade "naquela festividade e naquele ambiente" e que essa pessoa foi cooptada para ajudar nos atos de fraude processual.

Ao todo, sete pessoas foram denunciadas. Veja a lista completa abaixo.

Agora, cabe à Justiça aceitar ou não. Se a denúncia for aceita, os acusados passam a ser réus.

 

Veja quem são os denunciados e os crimes:

 

 

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • David Willian da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso - denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.
 
Edison Brittes Júnior confessou ter matado Daniel ? Foto: Reprodução/ RPC CuritibaEdison Brittes Júnior confessou ter matado Daniel ? Foto: Reprodução/ RPC CuritibaEdison Brittes Júnior confessou ter matado Daniel — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

Dos sete denunciados, apenas Evelyn Perusso não está presa. Ela ficou com o jogador Daniel durante a festa na casa noturna. O promotor Milton Salles disse que não pretende pedir a prisão dela.

"Ela imputou um crime gravíssimo como se o Eduardo Purkote tivesse atuado ativamente no início da execução desse homicídio. No inquérito policial essa possibilidade foi afastada, e o delegado de polícia entendeu assim. E eu, revendo o inquérito, também tive essa mesma conclusão que a conduta de Eduardo Purkote foi uma conduta de quem estava lá só vendo e uma testemunha que estava no lugar errado e na hora errada. E que teve essa imputação contra ele para conturbar as investigações", disse o promotor sobre Evelyn.

Eduardo Purkote teve a prisão temporária revogada pela Justiça e deixou a prisão nesta segunda-feira (26). Ele foi indiciado por lesão corporal grave.

Ao confessar o crime, o empresário Edison Brittes Júnior alegou que o jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, esposa do empresário. Contudo, o delegado Amadeu Trevisan já afirmou que não houve tentativa de estupro. O MP também disse que não houve tentativa de estupro.

 

O crime

 

Daniel foi encontrado morto, com o órgão sexual mutilado, perto de uma estrada rural na Colônia Mergulhão.

O crime aconteceu depois da festa de aniversário de 18 anos de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes.

 
 
Allana Brittes comemorou os 18 anos em boate de Curitiba ? Foto: Reprodução/FacebookAllana Brittes comemorou os 18 anos em boate de Curitiba ? Foto: Reprodução/FacebookAllana Brittes comemorou os 18 anos em boate de Curitiba — Foto: Reprodução/Facebook

A comemoração começou em uma boate da capital paranaense na noite de 26 de outubro, uma sexta-feira. Depois, continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais. Ali, Daniel começou a ser agredido, antes de ser levado ao matagal.

 

 

De acordo com o inquérito da polícia, Daniel foi agredido e morto após ter sido flagrado por Edison Brittes deitado na cama de Cristiana.

Antes do crime, Daniel a um amigo enviou mensagens e fotos deitado ao lado de Cristiana enquanto a esposa de Edison Brittes dormia.

 
 
Allana e Cristiana Brittes estão entre os denunciados pelo MP-PR por envolvimento na morte de Daniel ? Foto: Reprodução/FacebookAllana e Cristiana Brittes estão entre os denunciados pelo MP-PR por envolvimento na morte de Daniel ? Foto: Reprodução/FacebookAllana e Cristiana Brittes estão entre os denunciados pelo MP-PR por envolvimento na morte de Daniel — Foto: Reprodução/Facebook

 

Os laudos

 

Conforme as perícias realizadas pelo Instituto Médico-Legal (IML) e pela Polícia Científica do Paraná, marcas de sangue mostram na parede e no chão da casa dos Brittes mostram que Daniel foi espancado ainda dentro do quarto de Cristiana.

Os laudos mostraram também que as pessoas que estavam na casa tentaram limpar as marcas de sangue.

Daniel foi levado, segundo depoimentos de testemunhas, para fora da casa e colocado no porta-malas do carro de Edison Brittes. O resultado da perícia encontrou marcas de sangue dentro do veículo.

 
 
Corpo de Daniel foi encontrado em mata próxima a uma estrada rural de São José dos Pinhais ? Foto: Reprodução/RPCCorpo de Daniel foi encontrado em mata próxima a uma estrada rural de São José dos Pinhais ? Foto: Reprodução/RPCCorpo de Daniel foi encontrado em mata próxima a uma estrada rural de São José dos Pinhais — Foto: Reprodução/RPC

O jogador foi esfaqueado, e o corpo do dele foi deixado em um matagal a 20 quilômetros da casa onde acontecia a festa, de acordo com a polícia.

De acordo com o IML, o corpo de Daniel foi carregado por mais de uma pessoa. Em depoimento, Ygor King e David Willian disseram que apenas Edison Brittes tinha saído do veículo e carregado o corpo do jogador até o matagal.

Para o promotor Milson Salles, Edison Brittes não cometeu o crime sozinho. Ele disse que uma das provas da perícia que corroboraram para esta conclusão é a de que todas as portas do carro estavam com marcas se sangue.

 

O que dizem as defesas

 

O advogado de Evellyn Brisola, Luiz Roberto Zagonel, disse que não teve acesso a denúncia, mas que ficou surpreso com a denúncia ofertada. "Evellyn buscou a todo momento auxiliar as autoridades na busca da verdade, o que restará comprovado em futura instrução processual", disse.

Edson Stadler, que defende Eduardo da Silva, disse que o MP-PR atuou na denúncia com suposição e que o inquérito policial não esgotou todos os meios para esclarecer todas as divergências e obscuridades. Ele disse que sentiu falta de uma acareação e reconstituição do crime. O advogado disse também que só vai decidir o que fazer posteriormente após o seu cliente ser notificado oficialmente da denúncia.

O advogado Allan Smaniotto, que representa Ygor King e David Willian, disse que só vai se manifestar após ter acesso à denúncia.


Compartilhar em:


PUBLICIDADE