TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

MP pede a Justiça que Aécio Neves devolva R$ 11 milhões a Minas Gerais

Postado por TVKajuru.com | 27/11/2018 às 08:24h

O valor seria referente a mais de mil voos em benefício próprio entre 2003 e 2010, quando Aécio foi governador do estado. O senador nega as acusações.

 

Promotores do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pediram à Justiça em Ação Civil Pública que o senador Aécio Neves (PSDB) devolva cerca de R$ 11 milhões aos cofres públicos do estado. O valor seria referente a mais de 1,3 mil voos com aeronaves oficiais em benefício próprio, sem comprovação de necessidade de interesse público.

As viagens teriam ocorrido na época em que Aécio Neves era governador do estado, entre os anos de 2003 e 2010. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), no pedido o MPMG destaca 116 deslocamentos aéreos, sem justificativas, para a cidade mineira de Cláudio, na Região Centro-Oeste, onde a família de Aécio tem fazenda, cidade também onde foi contruído um aeroporto alvo de polêmica; 138 voos para o Rio de Janeiro; e 1.083 para diversas outras localidades.

No pedido, os promotores argumentam que "a utilização de bens e serviços públicos para atender a seus próprios e particulares interesses configura, inexoravelmente, ato de improbidade administrativa, que importa em enriquecimento ilícito",

Aécio Neves têm o prazo de 72 horas para se manifestar e dar explicações à Justiça.

 
 
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) ? Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado/ArquivoO senador Aécio Neves (PSDB-MG) ? Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado/ArquivoO senador Aécio Neves (PSDB-MG) — Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado/Arquivo

Em nota, o senador Aécio Neves informou que considera incompreensível a relação de voos questionados pelo Ministério Público, que contém praticamente todos os voos realizados ao longo de oito anos e, segundo a qual, nem o governador nem os secretários de estado poderiam utilizar aeronaves para deslocamentos oficiais.

Ainda segundo a nota, o senador lamenta que não foi sequer solicitado que ele apresentasse as razões dos voos, o que poderia ter evitado a compreensão equivocada dos fatos. Aécio informou ainda que será comprovada a legalidade e a correção de todos os voos realizados.


Compartilhar em:


PUBLICIDADE