TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Greve de caminhoneiros chega ao 8º dia mesmo após anúncio de Temer

Postado por TVKajuru.com | 28/05/2018 às 03:30h

Veja a situação dos serviços públicos essenciais, como transporte público e escolas.

 

Caminhoneiros seguem protestando nesta segunda (28) em ao menos 25 estados e no Distrito Federal, mesmo após anúncio do presidente Michel Temer de reduzir o diesel por 60 dias e atender outras reivindicações da categoria.

 

 

 

 

Entre as medidas anunciadas no domingo por Temer estão a redução temporária de R$ 0,46 no litro do diesel e a isenção de pagamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios. "Panelaços" foram ouvidos durante a fala do presidente.

Entidades que representam caminhoneiros aprovaram as medidas, mas disseram que precisam de tempo para desmobilizar os motoristas parados nas estradas. Para compensar o subsídio no diesel, o governo pode subir outros impostos.

Muitos serviços essenciais continuam restritos por causa da greve, mas em algumas localidades a situação está normalizando. Em Fortaleza e Manaus, por exemplo, os postos foram abastecidos e 100% da frota de ônibus está em operação.

 

Transporte

 

Capitais com transporte público afetado nesta segunda-feira:

 

 

 

 

Os caminhoneiros autônomos seguem bloqueando os acessos ao Porto de Santos, no litoral de São Paulo.

 
12h45 - Mapa mostra redução da frota de ônibus no país (Foto: Juliane Monteiro/G1)12h45 - Mapa mostra redução da frota de ônibus no país (Foto: Juliane Monteiro/G1)12h45 - Mapa mostra redução da frota de ônibus no país (Foto: Juliane Monteiro/G1)
 
Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

 

 

Aeroportos

 

 

Na manhã da segunda-feira, ainda estavam sem combustível 7 dos 54 aeroportos administrados pela Infraero:

 

 

  • São José dos Campos (SP)
  • Uberlândia (MG)
  • Campina Grande (PB)
  • Juazeiro do Norte (CE)
  • Aracaju (SE)
  • João Pessoa (PB)
  • Teresina (PI)

 

 

 
14h10 - Mapa de voos cancelados em aeroportos do país por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Juliana Monteiro/G1)14h10 - Mapa de voos cancelados em aeroportos do país por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Juliana Monteiro/G1)14h10 - Mapa de voos cancelados em aeroportos do país por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Juliana Monteiro/G1)

 

 

Combustível

 

 

O reabastecimento dos postos ainda não foi normalizado. Em diversas cidades pelo país, há filas nas poucas bombas que possuem combustível. Mesmo onde a mobilização foi encerrada, a oferta nos postos deve levar dias para ser normalizada, segundo o ministério de Minas e Energia.

Algumas refinarias ainda estão com acessos bloqueados e a polícia está escoltando os caminhões-tanque para garantir o abastecimento. Veja como está a situação nas refinarias do país.

 

 

 

 

 
14h - Mapa mostra estados onde há postos sem combustível por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Karina Almeida/G1)14h - Mapa mostra estados onde há postos sem combustível por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Karina Almeida/G1)14h - Mapa mostra estados onde há postos sem combustível por causa da greve dos caminhoneiros (Foto: Karina Almeida/G1)

 

 

 

 

 
Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)

 

 

Educação

 

 

Em ao menos 13 estados não há aula nas universidades federais: Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins. Não haverá aula na rede estadual de ensino em diversos estados e também no Distrito Federal.

 

 

 

 

 

 

 
Escola sem aula em Londrina, no norte do Paraná (Foto: Alberto D'Angele/RPC)Escola sem aula em Londrina, no norte do Paraná (Foto: Alberto D'Angele/RPC)Escola sem aula em Londrina, no norte do Paraná (Foto: Alberto D'Angele/RPC)

 

 

Alimentos

 

 

Assim como os combustíveis, os mercados e feiras também devem levar algum tempo para retomar a oferta normal de alimentos nos lugares em que o tráfego já foi liberado.

O abastecimento de carne de aves e suínos pode demorar até dois meses para se normalizar depois que for encerrada a greve, segundo os produtores. Nos lugares onde ainda há itens frescos, o preço aumentou.

Para os produtores, o prejuízo também é grande. Os fabricantes de leite já descartaram mais de 300 milhões de litros por causa da falta de transporte.

 

 

 

 

 
Mc Donald's divulgou comunicado na porta da unidade do Setor Bueno, em Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)Mc Donald's divulgou comunicado na porta da unidade do Setor Bueno, em Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)Mc Donald's divulgou comunicado na porta da unidade do Setor Bueno, em Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)

 

 

  • Na Ceasa de Cuiabá, no Mato Grosso, o estoque deve durar apenas mais um dia.
  • Mato Grosso do Sul: a Ceasa-MS recebeu 40 caminhões, mas ainda tem preços elevados.
  • Pará: central recebeu na madrugada coentro, quiabo, couve, caruru, chicória, vagem, mamão, abacaxi, laranja, ovo, cebolinha, jambu, pimenta de cheiro.
  • Paraíba: situação crítica na capital e interior. Preço da batata já aumentou cerca de 200%.
  • Pernambuco: dos 540 caminhões previstos para abastecer o Ceasa/PE, chegaram 185 até as 6h30 desta segunda-feira.
  • Rio de Janeiro: nenhum caminhão chegou na Ceasa até às 7h.
  • Rondônia: estoque de frutas e vegetais no estado está quase zerado, segundo o sindicato. O prejuízo para o setor é estimado em R$ 1 milhão.
  • Santa Catarina: o desabastecimento está em torno de 85% na Ceasa.
  • São Paulo: o volume de negócios no entreposto da Ceagesp, na Zona Oeste de São Paulo, caiu 90% em relação a um dia normal.
  • Tocantins: na maioria dos supermercados das principais cidades não há mais verduras e frutas. Na Ceasa, itens como ovos, batata, cebola, cenoura estão em falta.

 

 

 
Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

 

 

Saúde

 

 

Uma carta assinada por 106 hospitais privados em todo o paísinformou não ser mais possível garantir o cuidado a pacientes a partir desta segunda-feira (28) se a paralisação continuar.

As entidades citam dificuldade de acesso para médicos e funcionários, além de falta de alimentos, ambulâncias paradas, problemas no recolhimento de lixo.

Os hospitais e unidades de saúde públicos já sofrem com falta de combustível e materiais, o que causa cancelamento de cirurgias agendadas e outros atendimentos:

 

 

  • São Paulocirurgias eletivas nos hospitais municipais estão adiadas, para guardar insumos para os atendimentos de urgência e emergência. Também está suspensa a remoção de pacientes para exames eletivos e de rotina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).
  • Goiás: ambulâncias do Samu e hospitais têm condições de operar até sábado (2), mas algumas cirurgias eletivas foram suspensas no interior do estado por falta de insumos.
  • Distrito Federal: suspendeu atendimento primário nas UBS, ambulatórios de especialidade e cirurgias programadas. Os servidores dessas áreas vão reforçar urgências e emergências.
  • Minas Geraiscirurgias foram suspensas e ambulâncias circulam com restrição.
  • Rio de Janeirocirurgias eletivas estão suspensas na rede estadual, estoque de sangue está baixo no Hemorio com falta de doadores.
  • Santa Catarina: cirurgias agendadas estão suspensas na rede estadual e em 15 hospitais particulares ou filantrópicos.

 

 

 
 
 
Hospitais de várias capitais cancelam cirurgias agendadas para priorizar emergências

 

 

Outros serviços

 

 

 

 

  • Correios: cerca de 85% das correspondências não foram entregues no Espírito Santo.
  • Gás de cozinha: em Goiás, 95% das distribuidoras registram a falta do produto, que já chega a R$ 100. Na Paraíba, o preço do botijão bateu R$ 130. Em Pernambuco, o exército está escoltando caminhões com gás. No Distrito Federal, a situação só deve normalizar no fim de semana.
  • Coleta de lixo: algumas regiões de Belo Horizonte não terão coletanesta segunda. No interior, do Rio GRande do Sul, algumas cidades também suspenderam a coleta. No ABC paulista, a operação dos caminhões de lixo em São Bernardo do Campo e Santo André foram impactadas. Um hospital da zona norte do Rio acumula lixo há 5 dias.
  • Telefonia e internet: empresas de telecomunicação dizem que a falta de combustível afeta a capacidade de fazer manutenção e ativações - uma delas chegou a pedir à Anatel o abastecimento preferencial da frota nos mesmos moldes da polícia.

 


Compartilhar em:


PUBLICIDADE