TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Alunos que ocupam escolas alegam que foram agredidos por PMs, em GO

Postado por TVKajuru.com | 19/12/2015 às 04:32h

Coordenador de Direitos Humanos denunciou caso ao Ministério Público. 
Corporação abriu sindicância; 22 colégios estão ocupados no estado.

 

Dois estudantes que participam da ocupação de uma escola em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, alegam que foram agredidos por policiais militares no local. Segundo eles, que não quiseram se identificar, os militares agiram com truculência durante abordagem. Os alunos protestam contra o repasse da gestão dos colégios estaduais às Organizações Sociais (OSs) e já ocuparam 22 unidades de ensino.

O coordenador do Centro de Referências em Direitos Humanos de Goiânia (CRDH), Eduardo Mota, disse que já repassou o caso ao Ministério Público. "Nós encaminhamos esses alunos até o MP onde eles fizeram essa representação. Inclusive, encaminhados ao IML, houve comprovação dessas lesões", disse.

"Mocinha, você está filmando? Desce do muro, desce do muro", diz o policial que, em seguida, vai ao carro e pega o cassetete.

A PM informou que a corregedoria está apurando os supostos casos de agressão.

Alunos que ocupam escolas alegam que foram agredidos por PMs, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Alunos que ocupam escolas alegam que foram agredidos por PMs (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Corte de água
Outro vídeo feito pelos estudantes mostram servidores da Companhia de Saneamento de Goiás(Saneago) cortando a água de uma escola em Aparecida. A empresa alegou que fez o corte a pedido da Secretaria Estadual de Educação.

Uma comissão da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Goiás (OAB-GO) está vistoriando as escolas. "As escolas estão bem cuidadas. Está tendo alguma restrição de acesso por questão da própria segurança dos alunos e da comunidade", explicou a advogada Maria Tereza Nascente, da Comissão de Segurança do órgão.

Colégio Jad Salomão foi ocupado em Anápolis, Goiás (Foto: Divulgação)Colégio Jad Salomão foi ocupado em Anápolis em protesto contra as OSs (Foto: Divulgação)

Ocupações
O movimento em Goiás começou no último dia 9. Ao todo, 22 escolas estão ocupadas em todo estado. A última foi  a Escola Eatadual Villa Lobos, nesta sexta-feira (18), em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana. Agora, a cidade contabiliza três unidaes ocupadas. Em Goiânia, os alunos acampam em 12 unidades e na cidade de Goiás, em um colégio.

Em Anápolis o movimento teve início no último dia 14, quando os colégios Padre Fernando Gomes de Melo, Carlos de Pina, Américo Borges de Carvalho, Polivalente Frei João Batista,José Ludovico de Almeida e Jad Salomão passaram a ser ocupados.

Os manifestantes dizem que ficarão nas unidades por tempo indeterminado até que o governo desista do projeto de instalação das OSs na rede de ensino.

Resposta
Em nota, a Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) informou que respeita as manifestações feitas pelos alunos e que sempre esteve aberta ao diálogo. O órgão explicou que, mesmo com a implantação das OSs, as escolas vão permanecer 100% públicas e gratuitas. A nota resaltou ainda que “não se trata de privatização ou terceirização do ensino público, mas uma parceria”.

Estudantes ocuparam escola na cidade de Goiás (Foto: Divulgação)Estudantes ocuparam escola na cidade de Goiás (Foto: Divulgação)

A secretária Raquel Teixeira afirmou, em entrevista à TV Anhanguera, que os direitos dos professores e a gratuidade das escolas administradas por OSs serão garantidas.

"Muita informação inverídica está circulando. Primeiro que professor vai perder direito. Isso não existe, nada mais longe da verdade, todos os professores efetivos manterão todos os direitos adquiridos e todos os professores serão valorizados. A escola vai ser privatizada, nada mais longe da verdade. A privatização aconteceria se eu pegasse a escola e transferisse para um ente privado que ia ter lucro com ela e eu não teria controle. A secretaria que vai ter todo o controle, toda a política pedagógica, toda a orientação”, pontuou.

A secretaria disse ainda que “tem a convicção que este modelo será uma iniciativa inovadora, tornará o sistema mais ágil, mais eficiente e fará avançar a qualidade da educação”.

Chamamento
Na quarta-feira (16), a Seduce determinou a anulação do Aviso de Chamamento Público referente à seleção de OSs para administração de escolas públicas em Anápolis. Conforme nota enviada pela secretaria, a medida aconteceu porque o documento não estava devidamente assinado pelas autoridades competentes.

Colégio Estadual Lyceu de Goiânia, no Centro, foi ocupado por estudantes (Foto: Vitor Santana/G1)Colégio Estadual Lyceu de Goiânia foi a terceira escola a ser ocupada na capital (Foto: Vitor Santana/G1)


Compartilhar em:


PUBLICIDADE