TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Estocar fraldas é um bom negócio?

Postado por TVKajuru.com | 29/11/2015 às 01:15h

Aprenda a calcular a quantidade de fraldas descartáveis necessárias para seu bebê, da maternidade à fase do desfralde

Estocar fraldas é um bom negócio?

Um dos principais itens do enxoval do bebê são as fraldas. E uma das principais dúvidas das mães é a quantidade usada nos primeiros anos de vida para saber se compensa comprar tudo de uma vez só. 

Outro ponto importante é que, diferentemente das roupinhas, que podem ter uma certa folga no corpo do bebê, a fralda precisa ajustar-se perfeitamente. Por isso, nem sempre é possível saber o tamanho certo a longo prazo, sobretudo antes da criança nascer. 

Uma conta básica é saber que um recém-nascido é trocado a cada 3 horas, mais ou menos. Ou seja, serão gastas, só no primeiro mês, 240 fraldas. 

No entanto, o tamanho também precisa ser avaliado. As fraldas tamanho RN são as menos usadas, ainda mais no caso de bebês que nascem com peso acima de 3 kg.

"Tem bebês que nem chegam a usar esse tamanho", observa a pediatra Vera Figueiras. Portanto, 1 ou 2 pacotes desse tamanho são suficientes. E compre-os logo após o nascimento do bebê, para ter certeza de que ele irá usar. 

Até o terceiro mês de vida, o bebê geralmente usa fralda tamanho P, o que representa uma quantidade de 180 a 240 unidades por mês, aproximadamente. 

A partir dos 3 meses (entre 5 e 9 kg, em média), o bebê começa a usar fralda tamanho M. Nessa fase, as trocas passam a ser menos frequentes. E como o pequeno deve continuar usando o mesmo tamanho por cerca de seis meses, prepare-se para usar cerca de 180 fraldas por mês, mais ou menos.

Daí em diante, até o desfralde, usa-se o tamanho G (9 a 12 kg, em média) ou extra G. Certamente, esse será o tamanho usado por pelo menos mais um ano. Ou seja, as fraldas de tamanho G serão a maioria.

"É preciso lembrar que esses dados são considerados uma média, pois tudo vai depender do crescimento e ganho de peso de cada bebê", explica Andreia Blanc, consultora de gestantes. 

"Para não errar, então, o melhor mesmo é comprar aos poucos, evitando o desperdício", explica Paula Laffront, especialista em enxoval de bebê. 

Mãe experiente, Erika Nigro, que deu à luz Gabriel (18 anos), Sofia (16) e Olívia (2), lembra outro detalhe: antes de pensar no número de fraldas a serem compradas, é preciso saber se você terá lugar para armazenar dezenas de pacotes, pois isso pode ser um grande transtorno. 

E o Chá de Fraldas? 

Muitas mães, durante a gravidez, preferem fazer o Chá de Fraldas, pois é uma boa oportunidade para reunir os amigos e fazer um bom estoque do produto. Aí surge (outra vez) a dúvida: o que é melhor pedir aos convidados?

Com relação ao tamanho, Paula recomenda não chegar ao limite de cada opção. “Por experiência, o ideal é um planejamento 20% abaixo da quantidade recomendada de uso. Assim você cria uma folga razoável e, novamente, evita o desperdício”, argumenta.

Da mesma forma, ela sugere procurar variar marcas, pois o grande problema em pedir uma única alternativa é caso o bebê desenvolva algum tipo de aversão. Vale fazer uma pesquisa prévia com suas amigas recém-mães sobre qual marca elas mais utilizaram. 


Compartilhar em:


PUBLICIDADE