TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Oito propostas de Iris Rezende devem consumir mais de R$ 400 milhões dos cofres da Prefeitura

Postado por TVKajuru.com | 06/11/2016 às 08:25h

Orçamento prevê R$ 845 mi para investimentos em 2017


Das propostas apresentadas pelo prefeito eleito Iris Rezende (PMDB) durante a campanha eleitoral apenas oito devem consumir cerca de R$ 430 milhões do Orçamento, que prevê R$ 845 milhões para investimentos em 2017.


A promessa de recuperar 3 mil km de ruas e avenidas de Goiânia deve custar aos cofres públicos R$ 124 milhões, considerando os valores utilizados na concorrência internacional nº 001/2016, de maio deste ano. Além de recuperar o asfalto de ruas e avenidas, Iris prometeu pavimentar toda a capital, o que significa asfaltar 31 bairros. Em seis deles, a administração atual já iniciou o trabalho.


Para 2017, o Orçamento previsto para a área de Urbanismo é de R$ 96, 5 milhões. Nessa rubrica entra também o investimento em iluminação. Para honrar o que disse a seu eleitor o prefeito eleito terá que investir cerca de R$ 74,8 milhões para trocar todos os 150.811 pontos de luz da cidade por lâmpadas LED. Esse é o valor de uma licitação realizada em novembro do ano passado para a modernização de todo sistema.


A promessa de zerar as vagas nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) vai custar cerca de R$ 39 milhões para Prefeitura e a Educação ainda terá de arcar com a despesa de mais 15 mil vagas em escolas de tempo integral.


A presidente do Conselho Estadual de Educação, Esther Carvalho chama atenção para o fato de os dois compromissos implicarem em outras despesas, além da ampliação do número de professores e de demais profissionais da educação. “Essa oferta de ensino fundamental e infantil deverá ser feita em observância às normas e regulamentações do Conselho Municipal de Educação, para a garantia da qualidade do atendimento e do ensino”.


O prefeito eleito prometeu também que todas as unidades de saúde funcionarão 24 horas, o que significa implantar o serviço de urgência em três unidades a um custo anual de quase R$ 17 milhões. O presidente do Cremego, Aldair Novato Silva, duvida que o prefeito consiga cumprir a promessa, não por falta de profissionais, mas pela defasagem do salário pago pela Prefeitura, cerca de R$ 5 mil, e o que a categoria tem como piso, R$ 13 mil. “E não é só contratar médico, mas dar condições para ele trabalhar”, diz. Segundo o presidente, as unidades de saúde, da maneira que se encontram, não podem funcionar 24 horas. “É uma situação lastimável”. O Orçamento da Prefeitura para 2017 será de R$5,1 bilhões, segundo o projeto de Orçamento encaminhado à Câmara Municipal; 1,12% menor (R$ 59 milhões a menos) que o de 2016. Algumas promessas estão previstas para serem cumpridas até 2018.


Compartilhar em:


PUBLICIDADE