TvKajuru | Só Verdades

Compartilhar pelo whatsapp

Arrependimento

Postado por TVKajuru.com | 24/04/2016 às 09:15h

Todos Precisamos Arrepender-nos

  • O que é o pecado? Que efeitos nossos pecados têm sobre nós?

A fé em Jesus Cristo conduz naturalmente ao arrependimento. O mundo tem necessitado de arrependimento desde os tempos de Adão até hoje. O Senhor instruiu Adão dizendo: “Portanto ensina a teus filhos que todos os homens, em todos o lugares, devem arrepender-se, ou de maneira alguma herdarão o reino de Deus, porque nenhuma coisa impura pode ali habitar ou habitar em sua presença” (Moisés 6:57).

Viemos à Terra com o propósito de crescer e progredir. Esse é um processo que leva a vida inteira. Durante esse período, todos nós pecamos (ver Romanos 3:23). Todos precisamos arrepender-nos. Algumas vezes pecamos devido à ignorância; outras vezes, devido a fraquezas, e outras ainda devido à desobediência consciente. Na Bíblia, lemos que “na verdade (…) não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque” (Eclesiastes 7:20) e que “se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós” (I João 1:8).

O que é o pecado? Tiago disse: “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4:17). João descreveu o pecado como sendo “toda a iniquidade” (I João 5:17, ver também I João 3:4). Transgredir a lei é pecar.

Essa é a razão por que o Senhor disse que “todos os homens, em todos os lugares, devem arrepender-se” (Moisés 6:57). Com exceção de Jesus Cristo, que teve uma vida perfeita, todas as outras pessoas que passaram pela Terra pecaram. O Pai Celestial, em Seu grande amor, providenciou para nós esta oportunidade de nos arrependermos de nossos pecados.

Como Libertar-nos de Nossos Pecados pelo Arrependimento

  • O que é o arrependimento?

Arrependimento é o meio que nos foi dado para nos libertarmos de nossos pecados e recebermos o perdão por eles. O pecado atrasa o progresso espiritual e pode até pará-lo completamente. O arrependimento torna possível que cresçamos e nos desenvolvamos espiritualmente de novo.

O privilégio de nos arrepender é possível por intermédio da Expiação de Jesus Cristo. De uma forma que nós não entendemos perfeitamente, Jesus pagou pelos nossos pecados. O Presidente Joseph Fielding Smith falou o seguinte sobre o assunto:

“Tenho sofrido dor, vós sofrestes dor, e por vezes ela tem sido bastante forte; mas não consigo compreender uma dor (…) que faça o sangue brotar do corpo como suor. Foi uma coisa terrível, uma coisa espantosa. (…)

Jamais nasceu neste mundo um homem capaz de resistir ao peso do fardo suportado pelo Filho de Deus, quando Ele arcou com os meus e os vossos pecados, tornando possível escaparmos deles” (Doutrinas de Salvação, comp. por Bruce R. McConkie, 3 vols., 1954–1956, vol. I, pp. 141–142; grifo no original).

O arrependimento algumas vezes requer grande coragem, muita força, muitas lágrimas, orações incessantes e esforços incansáveis para viver os mandamentos do Senhor.

Princípios do Arrependimento

  • Quais são os princípios do arrependimento?

O Presidente Spencer W. Kimball declarou: “Não háatalhos para o arrependimento, nenhum caminho privilegiado para o perdão. Todos os homens precisam seguir o mesmo curso, sejam eles ricos ou pobres, com ou sem instrução, altos ou baixos, plebeus ou nobres, reis ou súditos” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball, 2006, p. 42; grifo no original).

Precisamos Reconhecer Nossos Pecados

Para arrepender-nos é preciso admitir para nós mesmos que pecamos. Se não fizermos isso, não poderemos nos arrepender.

Alma aconselhou o filho Coriânton, que havia sido infiel em seu chamado missionário e cometido sérios pecados: “Deixes apenas teus pecados te preocuparem, com aquela preocupação que te levará ao arrependimento.(…) Não procures, mesmo nas mínimas coisas, desculpar-te de teus pecados” (Alma 42:29–30). As escrituras nos aconselham a não tentarmos justificar práticas pecaminosas (ver Lucas 16:15–16).

Não podemos esconder nada de nós mesmos ou do Senhor.

Precisamos Sentir Tristeza por Nossos Pecados

Além de reconhecer nossos pecados, precisamos sentir uma tristeza sincera pelo que fizemos de errado. Precisamos sentir que são pecados terríveis. Precisamos querer libertar-nos deles e abandoná-los. As escrituras nos dizem: “Todos aqueles que se humilharem perante Deus e desejarem ser batizados e se apresentarem com o coração quebrantado e o espírito contrito; e (…) que verdadeiramente se arrependeram (…) serão recebidos pelo batismo na sua Igreja” (D&C 20:37).

Precisamos Abandonar Nossos Pecados

A tristeza sincera deve levar-nos a abandonar (parar de cometer) o pecado. Se roubamos alguma coisa, não roubaremos mais. Se mentimos, não mentiremos mais. Se cometemos adultério, não mais o faremos. O Senhor revelou ao Profeta Joseph Smith: “Desta maneira sabereis se um homem se arrepende de seus pecados — eis que ele os confessará e abandonará” (D&C 58:43).

Precisamos Confessar Nossos Pecados

A confissão dos pecados é muito importante. O Senhor nos ordenou que fizéssemos isso. A confissão tira um grande peso do pecador. O Senhor prometeu: “Eu, o Senhor, perdoo pecados e sou misericordioso para com aqueles que confessam seus pecados com o coração humilde” (D&C 61:2).

Precisamos confessar todos os nossos pecados a Deus. Além disso, precisamos confessar à devida autoridade do sacerdócio os pecados sérios que podem afetar nossa posição na Igreja, tais como: adultério, fornicação, relações homossexuais, maus-tratos e abuso do cônjuge ou dos filhos e venda ou uso de drogas ilegais. Se pecamos contra alguém, precisamos confessar a quem prejudicamos. Alguns pecados menos sérios envolvem somente nós e o Senhor. Estes podem ser confessados apenas a Deus.

Precisamos Fazer uma Restituição

Parte do arrependimento é fazer uma restituição. Isso significa que, até onde for possível, precisamos transformar em bem qualquer mal que tenhamos cometido. Por exemplo: o ladrão precisa devolver o que roubou. O mentiroso precisa tornar conhecida a verdade. O caluniador que manchou o caráter de uma pessoa precisa esforçar-se por restaurar o bom nome dela. Se fizermos essas coisas, Deus não mencionará nossos pecados quando formos julgados (ver Ezequiel 33:15–16).

Precisamos Perdoar aos Outros

Parte do arrependimento é perdoar aos que pecaram contra nós. O Senhor não nos perdoará, a menos que tenhamos o coração completamente livre de todo o ódio, amargor e os ressentimentos para com outras pessoas (ver 3 Néfi 13:14–15). “Portanto digo-vos que vos deveis perdoar uns aos outros; pois aquele que não perdoa a seu irmão suas ofensas está em condenação diante do Senhor; pois nele permanece o pecado maior” (D&C 64:9).

Precisamos Guardar os Mandamentos de Deus

Para tornar o arrependimento completo, precisamos guardar os mandamentos do Senhor (ver D&C 1:32). Não nos arrependemos completamente, se não pagamos o dízimo, se não guardamos o Dia do Senhor ou não obedecemos à Palavra de Sabedoria. Não estamos arrependidos se não apoiamos as autoridades da Igreja e não amamos o Senhor e nosso próximo. Se não oramos e não somos bondosos para com os outros, certamente não estamos arrependidos. Quando nos arrependemos, a vida muda.

O Presidente Kimball disse: “Primeiro, a pessoa arrepende-se. Ao terminar essa etapa, deve viver os mandamentos do Senhor a fim de permanecer nessa posição vantajosa que conquistou. Isso é necessário para garantir o perdão completo” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball, 2006, p. 48).

  • Como os ensinamentos desta seção diferem do falso conceito de que o arrependimento é o cumprimento de uma simples lista de passos ou ações rotineiras?

Como o Arrependimento Nos Ajuda

  • De que maneira o arrependimento nos ajuda?

Ao nos arrependermos, a Expiação de Jesus Cristo torna-se completamente eficaz em nossa vida e o Senhor perdoa nossos pecados. Tornamo-nos livres das cadeias do pecado e encontramos alegria.

Alma relatou a experiência que teve ao arrepender-se de seu passado pecaminoso da seguinte forma:

“Minha alma estava atribulada no mais alto grau e atormentada por todos os meus pecados.

Sim, lembrei-me de todos os meus pecados e iniquidades, pelos quais me vi atormentado com as penas do inferno; sim, vi que me havia rebelado contra o meu Deus e que não guardara seus santos mandamentos.

(…) Tão grandes haviam sido minhas iniquidades que a simples ideia de entrar na presença de meu Deus atormentava-me a alma com inexprimível horror.

(…) E aconteceu que enquanto eu estava (…) perturbado pela lembrança de tantos pecados, eis que me lembrei também de ter ouvido meu pai profetizar (…) sobre a vinda de um Jesus Cristo, um Filho de Deus, para expiar os pecados do mundo.

Ora, tendo fixado a mente nesse pensamento, clamei em meu coração: Ó Jesus, tu que és Filho de Deus, tem misericórdia de mim (…).

E (…) quando pensei isto, já não me lembrei de minhas dores (…).

E oh! que alegria e que luz maravilhosa contemplei! Sim, minha alma encheu-se de tanta alegria quanta havia sido minha dor.

(…) Nada pode haver tão belo e doce como o foi minha alegria” (Alma 36:12–14, 17–21).

  • Como o arrependimento e o perdão proporcionaram alegria a Alma?

O Perigo de Procrastinar Nosso Arrependimento

  • Quais são algumas possíveis consequências de procrastinar nosso arrependimento?

Os profetas declararam que “esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para encontrar Deus” (Alma 34:32). Precisamos arrepender-nos agora, todos os dias. Quando nos levantamos pela manhã, precisamos examinar-nos para ver se o Espírito de Deus está conosco. À noite, antes de dormir, precisamos rever nossas ações e palavras do dia e pedir ao Senhor que nos ajude a reconhecer as coisas das quais precisamos arrepender-nos. Arrependendo-nos todos os dias e sendo perdoados pelo Senhor, experimentaremos um processo diário de aperfeiçoamento. Como aconteceu com Alma, nossa felicidade e alegria podem ser belas e doces.

Escrituras Adicionais


Compartilhar em:


PUBLICIDADE